KPI: O que é e como aplicar

Escrito Por: Laura Santos Publicado em: Marketing e Vendas Data de Criação: 22/01/2021 Acessos: 58 Comentários: 0

Ter KPIs bem definidos é parte fundamental da estratégia de gestão de uma empresa. Saiba como definir os KPIs certos e como otimizá-los na sua empresa

Utilizar ferramentas que acompanham e medem aspectos de performance é essencial para saber o andamento da empresa e em que é necessário melhorar. O KPI, sigla em inglês que significa Key Performance Indicator (Indicador Chave de Desempenho) é uma das principais ferramentas utilizadas para esse fim.

A mensuração sistemática de um conjunto de KPIs é o que torna possível as tomadas de decisão que levem ao crescimento da empresa. Por isso é importante saber o que significa e como usá-lo.

Este é o terceiro conteúdo da Série de Marketing da Cobra D’agua, que vai ao ar toda sexta-feira no mês de Janeiro. Neste post, entenda o que é KPI, conheça exemplos de indicadores e aprenda como utilizá-los.

O QUE É KPI

Como dissemos, o KPI é um indicador que revela o desempenho de algum aspecto da empresa. Visando medir a performance do negócio, é preciso adotar um conjunto de indicadores e aferi-los de maneira sistemática. Existem indicadores que podem ser usados para a maioria dos empreendimentos e outros mais específicos para cada tipo de empresa.

Para escolher os seus, é só verificar quais fatores são mais relevantes para o seu negócio e escolher indicadores que sejam possíveis de ser averiguados periodicamente.

Ao entender o que é KPI e adotar um conjunto deles, empreendedores e gestores estão aptos a diagnosticar quais estratégias da empresa precisam ter continuidade, quais devem ser intensificadas e quais exigem ser repensadas. Assim, conseguem tomar decisões com segurança, buscando o crescimento com base em dados objetivos.

Tais dados também são úteis a fim de que os colaboradores entendam como exatamente seu trabalho impacta o sucesso da empresa, tendo mais consciência da importância de seu papel e, com isso, mais responsabilidade. A equipe também desenvolve um senso de time maior, oportunidade em que os integrantes lutam juntos pelo mesmo objetivo.

Os KPIs primários são os indicadores principais para que a empresa alcance seu objetivo, ou seja, aqueles que indicam se a empresa está ganhando ou perdendo dinheiro. Por essa razão, o interesse do diretor da empresa está mais focado nesses tipos de KPI.

Os KPIs secundários são os que sustentam e justificam os primários, mostrando como anda a performance da estratégia adotada pela empresa. São dados cujo interesse diz respeito com mais intensidade a gerentes e a supervisores.

TIPOS DE KPIs

Com tantas possibilidades de análise, é fundamental que a empresa tenha em mente quais são os fundamentais (ou chaves) para o seu negócio. Seguem, abaixo, algumas das principais categorias de KPIs:

 

Indicadores de produtividade

São ferramentas aplicadas de maneira contínua na gestão de negócios com o objetivo de avaliar o rendimento e a eficiência dos processos nas empresas. Resumidamente, agem para mensurar a quantidade de recursos que uma empresa utiliza para gerar um determinado produto e/ou serviço.

 

Indicadores de qualidade

Seguem junto aos indicadores de produtividade, uma vez que auxiliam na análise de qualquer imprevisto ou erro ocorrido ao longo de um processo produtivo.

 

Indicadores de capacidade

Estes analisam a capacidade de resposta de um processo através da relação entre as saídas produzidas por unidade de tempo. Aliados aos de produtividade e qualidade, demonstram quão competitiva a empresa é.

 

Indicadores estratégicos

Os KPIs estratégicos fornecem informações sobre como o empreendimento se encontra em relação às metas definidas anteriormente. Fornecem um comparativo entre o cenário atual da empresa e o esperado. Em outras palavras, medem em “que pé” as coisas estão.

 

EXEMPLOS DE KPIs

Ticket médio: O ticket médio, como já falado aqui no blog, corresponde ao valor médio de compra de produtos pelo público. Pode ser acompanhado por venda, por cliente ou por vendedor. Para calculá-lo, é só dividir o faturamento em X meses pelo número X de meses considerados, e depois dividir esse valor pelo número de clientes. A fórmula fica assim:

faturamento em X meses /  X / nº de clientes

O resultado é o ticket médio da empresa.

Rotatividade de estoque: É o número de vezes que o estoque médio de um produto é vendido em um ano. Ajuda na gestão de estoques.

Taxa de conversão: Este KPI mostra quantos clientes, de todos os que iniciaram o ciclo de vendas, realizaram, de fato, a compra. Com essa aferição, é viável saber se o investimento da empresa está dando retorno.

Uma maneira de obter a taxa de conversão é calcular a porcentagem de vendas em determinado período em comparação com o número de oportunidades de venda que apareceram.

Métricas são importantes porque trazem dados concretos e não são baseadas em suposições. Os indicadores apresentam previsibilidade e, logo, colaboram para um crescimento sustentável.

Por isso, ainda que os gestores prefiram não divulgar os números, informar a todos os funcionários os indicadores de desempenho mais importantes para a empresa é garantir que as áreas colaborem melhor para alcançarem as metas relativas àqueles indicadores.

Os KPIs são essenciais porque oferecem um diagnóstico da empresa para se posicionar melhor no mercado que, por ser dinâmico, apresenta sempre novos desafios. Tê-los sobre a mira é importante para comparar processos e, então, saber o que esperar de resultados.

Afinal, quando se mantém os olhos em determinados pontos no horizonte, fica mais fácil não se perder no percurso até lá.

 

Gostou do conteúdo? Conta nos comentários quais indicadores de desempenho você já usa e quais pretende implementar.

Deixe um comentário

Captcha